quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

PORQUE NÃO TE CALAS?




Ontem à noite foi noite de petisqueira, uma sopa espanta frio, morcelas de arroz com grelos uns queijinhos e enchidos, vinho da região.Coisa simples, pretexto para reunirmos um grupo de amigos na nossa adega, aquecidos pelo fogão a lenha. De conversa em conversa fomos divagando de tema em tema, coisas leves, triviais, uma noite bem disposta com algum futebol à mistura, inevitável com tanto jogo para uns e para outros importante, até que desaguámos na beleza feminina.


Tema complexo, dilecto de muitas rodas de amigos e por acaso aqui pela minha nem sequer muito popular, mas ontem foi dia, ou melhor, foi noite de beleza feminina.


Desfilaram as beldades ou não, do costume, as do teatro, do cinema e da televisão, deve ser do mau tempo e do calor do fogão, porque a conversa só por si desinteressante que chegue já começava a atirar os não envolvidos, como eu para os braços de Hipnos e Morfeu.


Ao leme do tema, invariavelmente, uma senhora que à beleza nada deve e à inteligência também não, uma chata, já vossa conhecida, daquelas sempre, sempre de dedito no ar, voz estridente, constantemente a querer dominar a sala, tolerada entre nós apenas porque adoramos o marido. De ajudante uma outra, quase como ela e treca, treca, não se calavam com o tema nem por mais uma.


De repente, o J. homem das agrícolas lides, pouco ligada a filosofias e dono de uma homérica antipatia por gente do tipo da dita, põe um ponto final à enfadonha discussão:


- Calem-se lá com isso de uma vez meninas, peço desculpa aos donos da casa mas a amizade leva ao abuso. Já repararam que apenas as mulheres feias têm absoluta necessidade de se auto-proclamarem bonitas? Essas de quem falam há horas não precisam da vossa aprovação, ao passo que há por aí muito boa gente que devia pensar 3 vezes antes de apontar o dedo e dizer que A ou B é feia.


Gargalhada geral, tudo levado na brincadeira embora a dita se tenha calado e quedado muda até nos abandonar, com muita pena nossa, cof, cof, acometida de um súbito ataque de sono e fadiga.

10 comentários:

C NARCISO disse...

rsrsrsrs
Há verdades que doem....
E o "Petisco" estava mesmo bom?? Isso é que interessa!

Mr X disse...

Não se faz, não se faz. Lá foi a auto-estima...

najla disse...

Valente homem...eheheheh

Mas realmente, e vistas bem as coisas, quem pragueja mais decerto lhe fica em divida...

Anónimo disse...

Não se podia ter ficado mesmo na adega????? ;)

M.H.

Thunderlady disse...

Ahahah, haja quem salve o conduto.
Para quê estragar uma bela petiscada (e que bem que tinha ido uma morcelazinha, ó ó!!) com conversetas?

Quem feio (se) ama... trata de se estimar. ;)

Fatima disse...

Espelho meu... espelho meu...

Ovinho Estrelado disse...

Ai minha amiga! a inveja que eu tenho das tuas gentes sempre que escreves sobre os repastos e "cumbíbios" na tua adega!

Quero ser tua vizinha, oh Tita Maria!

E também me dava jeitinho um amigalhaço desses para mandar calar daquelas gentes que eu aturo à custa deste feitio fofo que tenho, incapaz de me fazer dizer uma palavrinha fora do sítio quando estou no social... :X

Eu, por acaso, também gosto imenso de me gabar... Mas claro, eu sei gabar-me! Saber ter a auto-estima em alta também é uma arte! :D

Beijo enorme na minha Tita mailinda!

:D

(E a "outra" com avatar novo e coiso?!?!)

Beijo!

alBErTA!!!

SONHADOR disse...

qualquer dia, ainda abre um outro blog com "as histórias da adega"

beijos do sobrinho.

fjorge disse...

Salve-se então o belo do petisco ;)
Beijinhos

ahhhhhh!! agora entendo porque não ouviste o telelé.

alerts disse...

miu miu bag
miu miu bags
miu miu handbag
miu miu purse
miu miu wallet