domingo, 11 de janeiro de 2009

ATÉ Á VISTA PORQUE NUNCA DIGO ADEUS A QUEM AMO




Conheci a A.C. há alguns anos, alguns é como quem diz uns 18.

Conhecia-a por via profissional e foi daquelas pessoas de quem gostei logo. Cara lavada, sorriso aberto, prática e incisiva, outros, muitos, pontos de convergência viriam a revelar-se mais adiante.

Quase de imediato esta simpatia profissional passou para a esfera das amizades pessoais, o que no meu caso muito raramente acontece.

Casada com um encantador arquitecto paisagista , visionário e cheio de sonhos, teimoso q.b. para fazer de uma das maiores praias da nossa costa oeste e das que me são mais gratas ao coração, o esplendor que hoje é.

Nascida em Angola, filha de um casal de professores de Lisboa, apaixonados por África, foi obrigada a deixar Luanda no princípio da adolescência.

Sempre manifestou alto e bom som a sua imensa saudade de África, nunca em tom de lamento, sempre com um obstinado, um dia voltarei.

Ontem, recebo um telefonema da A.C. que nos convida para um almoço junto ao mar, nada de anormal, uma vez que isso acontece com frequência, no entanto senti um aperto no peito, um misto de alegria e tristeza, eu tenho destas coisas a que chamam pressentimentos, intuição o que quiserem.

Chegámos cedo como pedido, para que pudéssemos aproveitar o magnífico sol de inverno. Aos poucos foram chegando várias caras conhecidas até estar completa a roda de amigos da A.C. e do F.

Vai voltar a Angola, ainda esta semana, é viagem há muito preparada, tudo está pronto, decidido, organizado.

Nada me dá mais prazer do que ver alguém, com os pés bem firmes na terra que perseguiu sempre um sonho ser recompensada e conseguir realizá-lo. Não há maior prova de amor do que do F., nascido e criado em Lisboa, depois da mudança para o Oeste, vai dar um passo de gigante até África, mudar completamente a sua vida apenas por amor.

Partem com dois filhos adolescentes 2 cães e todos os pertences, na mala um projecto lindo que já navega e no coração, um mar de sonhos.

Reuniram hoje num almoço frente ao mar todos os vossos amigos dos quais me honra muito, muito, fazer parte, num almoço de gente feliz embora com algumas lágrimas.

Desejo-vos o melhor que sejam felizes, que vejam recompensados todos os vossos esforços e a vossa coragem.

Admiro profundamente estas pessoas que por várias razões foram forçados a deixar algum lugar ou alguém que amavam e que ao longo da vida lutam, sem mágoas e sem dramatismo, corajosamente, para aí regressarem.

Feito o convite para uma visita de imediato aceite, em breve estaremos de novo juntos a repetir este almoço junto ao mar, mas do lado de lá, em Luanda.

Até breve meus queridos.

Sucesso, todo o sucesso do mundo.

Coragem, sorte, saúde, sorte, amor e muita, muita alegria.

9 comentários:

Anónimo disse...

Tita...

E eu leio e releio... E caem-me as lágrimas pela tua grande amiga, pelo marido que tem.
Pela boa amizade que tem de ti...

(Imaginva que era coisa muito boa... Mas algo tão emocionante e feliz, jamais!!)

Obrigada, boa amiga, por este bocadinho...
Eu já tinha esta certeza, mas reconfirmo algo que em mim é claro como a água: as decisões tomadas por Amor ainda existem e são possíveis. E passíveis... Pela parte do marido. Lindo!

Pela parte da tua amiga, grandes sonhos com os pés bem assentes na terra. Fantástico!

Deixo-te um grande abraço, querida Tita. Mesmo grande. Até amanhã!

*

ovo*

mimanora disse...

Uma prova de que o amor por alguém (o marido) e por uma terra (A.C.) são capazes de tudo.
Espero que construam algo muito bom para todos.
Vivi em Angola 3 anos e as recordações que tenho são as melhores. É uma terra fantástica, com uma cor e um cheiro inconfundíveis.
Obrigado por este post lindo :)

Fatima disse...

Que os desejos e sonhos se cumpram, e que o amor nunca acabe!

mjf disse...

Olá!
Achei lindo e muito carinhoso este teu post...
É bom ter amigos assim ;=)
Eles são muito corajosos...
Espero que tudo corra como eles sonharam ;=))

Beijicas
Boa semana

SONHADOR disse...

Que consigam alcançar tudo aquilo que sempre ambicionam.

Beijos.

Thunderlady disse...

Gente de coragem mesmo!

Admiro quem consegue planear a perseguir os sonhos. Parar é morrer, não é?

É preciso coragem para partir assim, ele para tudo novo, ela para um regresso para um lugar que já largou há tantos anos... sem apoio e sem esse grande amor não seria possível.

Ficar em Portugal se o F. não quisesse ir seria também uma prova de amor da parte da A.C.

E que este recomeço lhes traga tudo!

:)

Bjinhos Tita

kris disse...

tita

realmente é triste ver partir pessoas que amamos..mas se vão para um sítio onde vão ser ainda mais felizes, serve de consolo :)

o F. é de louvar e admirar :) corajoso..e ama-a mesmo.Muito bonito e inspirador.
Que tudo lhes corra pelo melhor!

beijo*

Anónimo disse...

Faz pouco tempo quis ir para Angola e há coisa de 3 semanas tive um amigo (que está num projecto em Moçambique) e que me convidou para ir com ele. Pena não ter ido. Pena não ter aceite. Porque, em tempos, também fui: de cara lavada e sorriso aberto.

Boa sorte para os teus amigos.

Sónia Pessoa disse...

que bonito! Abraço e boa sorte. Beijinho para ti também e obrigada pelo apoio aqui no teu cantinho.
Sónia