segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

ARRUMAÇÕES


Vou arrumando 2008, mês a mês, dia a dia na caixa que lhe reservei e que em breve fará companhia às outras 49 que já descansam no sótão da minha memória.

Foi um ano de luta, de conquistas, de sucessos difíceis mas de sucessos.

Passo a passo abri caminho pelas dificuldades que a vida nos vai apresentando. Um a um venci os obstáculos. Ganhei, porque cresci, aprendi, por fim, a separar o trigo do joio. Deixei para trás coisas que antes me incomodavam, tornei-me melhor e mais forte enquanto pessoa, contudo mais exigente.

Perdi, parcialmente um amigo, sim que a morte só nos retira a presença física.

Dei-me a conhecer e conheci gente que me diz muito.

Deixei de tomar conhecimento de gente que não me diz nada.

Para o ano há mais, a ver vamos.



7 comentários:

Ana Oliveira disse...

Bom dia Tita

Altura de balanços...de Ano e de Vida...e o teu é muito positivo.
Vencer obstáculos, crescer, aprender sempre e tornarmo-nos melhores pessoas é o que mais podemos desejar. Conhecer gente boa e apreciá-la, descartar quem não nos interessa, é sabedoria.
Para o ano há mais e que no fim possas dizer o mesmo que hoje.

Bom Ano de 2009.

Beijos

Ana

Mr X disse...

Eu nunca faço balanços. Enjoo...

Thunderlady disse...

Para o ano há mais e pelo que se adivinha vai ser um ano agitado. Preparadas?? SIM!

'Bora lá!


Beijos!!!!

wednesday disse...

2008 já me parece muito bem arrumadinho e limpo... Que venha um excelente 2009!

Fatima disse...

Que venha o 2009, que eu cá estarei para o enfrentar.
Sucessos, é o que vamos somando. Perdas é o que mais tememos... mas isso não podemos mesmo evitar!
O meu 2008 está quase quase arrumado. Foi posotivo e bem melhor que o 2007...
Feliz 2009 Tita!

pensamentosametro disse...

Obrigada a todos freguesia, parqa vocês peço sempre o mesmo que para os meus.

Se estou preparada Vanda? Preparadíssima, ele que venha.


Bjos


Tita

SONHADOR disse...

E eu espero que 2009 te traga muitas e muitas alegrias, pois bem as mereces.

Beijos do sobrinho desnaturado.