segunda-feira, 19 de maio de 2008

ANDA TUDO DE CABEÇA PERDIDA

E com razão, por conta do acordo ortográfico.
Todavia, ninguém parece preocupar-se com os erros prosódicos que se dão aos milhares por segundo.
Uns porque não sabem, outros porque não ligam e outros para se "armarem ao pingarelho" , porque faz parte do dialecto "tiez", da construção do personagem, pronunciar os "pezentes", os "quidas" e outras anormalidades.
Entretanto a identidade desta nação que já foi valente e imortal, vai-se perdendo, todos os dias, lenta e sub-repticiamente até à extinção total que por este andar, já não deve estar longe.

4 comentários:

Thunderlady disse...

Há pessoas que conseguem ser muito selectivas, náo é?

E os extremos... ser de extremos não é saudável. Varia-se entre o "pitez" dos "x" e "k" e o "pseudo-arcaiquez" escrito por pseudo-escritores com as aspiraçoes literárias de serem os futuros nóbeis e não conseguem passar do patamar prosaico onde pensam que não pertencem e nunca estiveram.

E há os fundamentalistas.

Credo.

BJOKA!!

Dia bom :)

Fatima disse...

De Nação VALENTE e IMORTAL, estamos a caminhar a passos largos para Nação FALIDA e SEM MORAL....

sonhador disse...

já na escola se vão ensinando novas formas de linguagem do Pretuguês, perdão, do Português, que o vai deixar de ser...

gaia disse...

este final de post tem muito que se lhe diga... tenho umas ideias sobre uma coisa parecida... um dia detes, com tempo, faço um post sobre isso.