quarta-feira, 6 de maio de 2009

SEM FALSAS MODÉSTIAS


Que é coisa que não me permito. Jamais me farei passar por menos do que sou à procura do elogio que se torna obrigatório por tão pouco à vontade termos deixado quem nos escuta.
Desde sempre que tenho o hábito de conservar o meu CV, actualizado, cuidado e sempre, sempre no último grito da moda, por nenhuma razão em especial apenas porque gosto.
Ontem mais uma vez, acrescentei-lhe mais uma marca do meu percurso profissional.
Demorei-me um bocadinho nas suas páginas. Sei que sou boa naquilo que faço e ali está o relato do meu caminho traduzido em papel para o provar.
Deitei-me feliz com aquela sensação de conquista, de satisfação do dever cumprido, de realização.
Pouco modesto o texto? Para alguns talvez. Para mim memória orgulhosa de tantas batalhas, algumas sangrentas, travadas e ganhas. Derrotas? Também me aconteceram claro, apenas servem para me tornarem mais forte e mais alerta e dão-me sempre a oportunidade de aprender com os erros, com os meus e com os dos outros.

8 comentários:

mjf disse...

Olá!
O sucesso nunca é gratis, vem sempre depois do trabalho ...
Quanto ás nossas "derrotas"...concordo que nos dão uma vivência que nos faz ser diferentes, estimulando-nos a evitar os mesmos eros ...


Beijocas

Pepper disse...

O Cv é quase como uma medalha de "bom comportamento"...

Bjos

Thunderlady disse...

Não me fales em CV, por favor...

:((

Bjs

fj disse...

- aprender com os erros, com os "meus" e com os dos outros...

"faz-nos" mais crescidos!!!
mais forte, não quero ser.
:))**

gaia disse...

sem dúvida!

Fatima disse...

Tita é sempre bom acrescentar o CV.

Me Hate disse...

Oh se soubesses como te compreendo... mas agora que parece que mudei mesmo de vertente de trabalho, talvez, talvez, deixe de me chatear com esse tipo de coisas. Ganho um pouco menos, é verdade e dá-me a sensação que fiz licenciatura, mestrado (e entro para doutoramento) para o ano e que isso não me serve/serviu para nada mas... Depois penso: não!

O mesmtrado pelo menos serviu para me abrir muitas portas (mentais, as mais importantes) e este novo trabalho dá-me a paz que necessito, sem pressões, com boa camaradagem porque não há lugar para a inveja mesmo que se tenha e, acima de tudo: faz-me rir.

Por fim, depois de 12 anos na mesma linha de trabalho descubro que afinal, posso ser mais do que aquilo e diferente e até, espantem-se as almas: boa no que faço!

Estou feliz o que, não acontecia faz tempo!

najla disse...

Pois...gostava de ser assim! Um CV fala por nós, mostra-nos! E eu quase nunca me lembro de o actualizar....:(

bjinhos