sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O SEGREDO


Quando alguém deposita em mim confiança suficiente para abrir o seu coração e contar-me o que de mais secreto lhe vai na alma e me pede que o guarde só para mim, a partir desse momento e independentemente de por vezes esse tal segredo não ser assim tão secreto por força de tanto ser repetido a tão diferentes ouvidos, para mim e para sempre o assunto está morto e enterrado aconteça o que acontecer entre mim e quem me confiou o dito segredo.

O mundo pode girar ao contrário, a amizade, o relacionamento pode terminar a bem ou a mal, não interessa até se algum de nós vai viver para outro hemisfério ou outra galáxia se possível.

É segredo, não é meu e foi-me confiado para não ser por mim nunca repetido e assim será sempre.

Ora quando a coisa se dá no sentido inverso, que eu também tenho um ou outro segredo como toda a gente dita normal, ora dizia eu, quando a coisa se passa ao contrário o que espero no mínimo é encontrar do outro lado o mesmo tipo de resposta.

Estavam mesmo a ver que isto não ia acabar bem, não estavam? e depois lá vêem vocês dizer que isto e aquilo e mau feitio e que o raio do blogue só me serve para desabafos, é verdade sim senhor, desabafos e não só, aliás está lá em cima preto no branco, ou melhor, branco no cinzento, escarrapachado por cima da porta de entrada, isto tudo porquê?

Por conta de eu ter cedido a um impulso e ter confidenciado algo a uma orelha imatura e desmerecedora da minha confiança e reparem que nem sequer estou aborrecida com a tal orelha, que o segredo nem era coisa de jeito, estou é danada comigo por não aprender a controlar os meus impulsos, danada por acreditar demasiado na qualidade das pessoas, danada por ter sido má aluna a algumas disciplinas da escola da vida e não ter aprendido certos macetes nem no fim de velha, velha não, usada, não, usada ainda menos, crescida pronto.

No entretanto tenham um bom fim de semana, descansem, divirtam-se e na hora de confiar um segredo, não façam como eu, pensem duas vezes ou quem sabe três, pelo sim , pelo não.

8 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Leu os posts que escrevi há uma semana sobre um segredo que me tinha sido confiado há 40 anos? Acredite que, mesmo depois de tanto tempo e de o meu avô ter morrido, não sei se fiz bem em contá-lo.

Thunderlady disse...

Um segredo pode acabar por se tornar um fardo pesado. Talvez o teu segredo não fosse pesado e sim fosse quem o transportava que não tivesse "força" para ele. Ao menos fizeste a experiência, deste um segredo levezinho que se revelou um fardo imenso, agora já sabes que nem todos os burros são de carga.

Beijos e bom fim de semana!

fj & 100registo disse...

ah pois!...nao tens feito os TPC's todos que lebas da UV ?
está bisto!

olha minha amiga, 100segredo, se fores/vieres à casa do campino...não te esqueças de nós. bebe um copo à nossa* saúde...vou-me!

bjs.
bom fds
fjorge

*pode ser mais que dois

Anónimo disse...

Olá, boa amiga.

Eu confiei-te (vos) o meu maior segredo dos últimos tempos.
Eu sei que ele está aí. Fechado nas sete chaves da pessoa íntegra que és (sois).

Deixo-te um beijinho. Para a Vanda também.

Obrigada às duas. E quanto às vossas palavras: são tão sinceras que essas o vento não leva de mim.

Ovo*

Gi disse...

Tu fechas os segredos a 10 chaves e deitas as chaves fora, não é? :)

M disse...

Pois, por isso é que eu só conto os meus segredos a uma pessoa, pois tenho a certeza que dali, não passa...

Opinador disse...

Por isso é que eu só conto os meus "pecados" ao padre da freguesia eheheh.

hollygang disse...

Já o Manel Cruz cantava: «Sei que é um segredo / Eu não conto a ninguém / Só contei a um / Que é teu amigo também...»