segunda-feira, 28 de julho de 2008

SABEM QUE


Não sou nada dada a citações, mas não resisti a transcrever este texto, no qual, agradavelmente tropecei, produzido por uma das minhas penas favoritas, mensagem sempre actual, sempre a relembrar para que não se esfume no somar dos dias.




Se és capaz de conservar o teu bom senso e a calma,

Quando os outros os perdem, e te acusam disso,

Se és capaz de confiar em ti, quando te ti duvidam

E, no entanto, perdoares que duvidem,

Se és capaz de esperar, sem perderes a esperança

E não caluniares os que te caluniam,

Se és capaz de sonhar, sem que o sonho te domine,

E pensar, sem reduzir o pensamento a vício,

Se és capaz de enfrentar o Triunfo e o Desastre,

Sem fazer distinção entre estes dois impostores,

Se és capaz de ouvir a verdade que disseste,

Transformada por canalhas em armadilhas aos tolos,

Se és capaz de ver destruído o ideal da vida inteira

E construí-lo outra vez com ferramentas gastas,

Se és capaz de arriscar todos os teus haveres

Num lance corajoso, alheio ao resultado,

E perder e começar de novo o teu caminho,

Sem que ouça um suspiro quem seguir ao teu lado,

Se és capaz de forçar os teus músculos e nervos

E fazê-los servir se já quase não servem,

Sustentando-te a ti, quando nada em ti resta,

A não ser a vontade que diz: Enfrenta!

Se és capaz de falar ao povo e ficar digno

Ou de passear com reis conservando-te o mesmo,

Se não pode abalar-te amigo ou inimigo

E não sofrem decepção os que contam contigo,

Se podes preencher todo minuto que passa

Com sessenta segundos de tarefa acertada,

Se assim fores, meu filho, a Terra será tua,

Será teu tudo que nela existe

E não receies que te o tomem,

Mas (ainda melhor que tudo isto)

Se assim fores, serás um HOMEM.

Rudyard Kipling

4 comentários:

Gi disse...

Eu acho que Se assim fores serás um Deus criado pelos Homens!

Xinha disse...

Por isso é que existem poucos Homens... :)


Lindissimo poema! Sensivel e sensato !


Xi-coração

Me Hate disse...

Gosto da alma Mogli que há neste escritor...

Anónimo disse...

Tita querida,

Já tinha dado uma vista de olhos na diagonal neste post, ontem...

Hoje vim por aí abaixo atrás dele...

Li-o e reli-o...

Eu consigo ser algumas dessas coisas. Estou feliz comigo mesma por tal.
Vou ter de aprender a viver para ser igual aos versos que não tenho, ainda, dentro de mim.
Adorei este "bocadinho", Tita.
Vou levar as palavras de Rudyard Kipling no coração.

Beijo e abraço apertado.

Teresa