quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

DOS PRODÍGIOS NACIONAIS COM UM "CHEIRINHO" ASIÁTICO


Completamente atordoada pela gripe que estão fartinhos de me ouvir "carpir", esta vossa amiga ruma à delegação da, extinta ou em extinção, ou em reestruturação DGV que agora parece atender pelo nome de, Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, IP, pelo menos o nome é comprido, fica bem, o que não fica tão bem são as largas horas de "seca" que se vai apanhando por lá.


Como mulher prevenida vale por duas e almejando diminuir o flagelo da longa espera, esta vossa amiga preencheu toda a documentação on- line, juntou toda a outra que era necessária ao abate de uma matrícula de um saudoso Volvo que o seu filho mais velho fez o favor de mandar , literalmente, para a sucata e aí vai ela.


Chego, tira a respectiva senha, aguardo pela minha vez quando ela chega, aí uma 1h 42m depois, e me sento para ser , finalmente atendida, tenho à minha frente uma chinesa, pois leram bem, uma chinesa, não não estou a alucinar com a febre que a coisa também não é assim tão grave, como grave não seria se a dita senhora falasse português, mas não fala, ou melhor fala, mas exactamente como os seus patrícios comerciantes, ou seja não diz nada que seja facilmente estendível, nem entende aquilo que lhe dizem, então vai-se socorrendo das colegas o que significa que vai atrasando ainda mais o trabalho de cada uma, como tinha estado entretida com um livro não me tinha apercebido da gravidade da situação, pois havia muito boa gente que já refilava há algum tempo.
Depois de muito explicar, esbracejar e quase ter que fazer desenhos, lá consegui dar entrada do meu processo que ia completamente organizado e era do mais básico possível.


Perguntas, creio eu que pertinentes.
Como é possível uma pessoa estrangeira, que não domina, minimamente, a língua do pais de acolhimento, fazer atendimento ao público num departamento do Estado?
Como lhe foi possível concorrer?
Que provas prestou e em que língua?

Muito, muito , muito estranho, sobretudo num país onde se nega oportunidade de trabalho a portugueses portadores de deficiência na fala e outras, dando justificações mal alinhavadas, afirmando que esta ou aquela "particularidade" implicaria uma baixa produtividade...


Claro que não saí de lá sem registar a minha reclamação, muito na linha deste mesmo texto, sinto que fiz o que tinha a fazer e não me venham cá com conversas de xenofobias e racismos que essas comigo não pegam.


Reclamei em local próprio, agora é só uma questão de esperar pela multa

9 comentários:

Gione disse...

1,2,3, ... macaquinho do chinês!
Come e cala e come aloz, e sobe às mulalhas da china!
Ficaste, litelalmente, de olhos em bico, celto?

pensamentosametro disse...

Gi,

De olhos em bico e a olhar para todos os lados, convencida que aquilo era para os apanhados.

Bjos

Tita

GAIA disse...

é o nosso maravilhoso país!!!
e com sorte a chefe era ucraniana!

Mim disse...

Abstenho-me, ok?

Depois levo-te arroz xau xau à prisão ;)

Bjokas

sonhador disse...

porque não levaste o dicionário português-chinês?
assim falavas a língua dela e já não precisavas de ficar tão chateada...

digo eu.

bjos.

Estrellinha disse...

Uma vez liguei para um Organismo Público a solicitar umas informações. Era uma brasileira... Com sotaque serrado!
Até dizia o "Oi"?"Hein"?
Após uns largos minutos tive de lhe solicitar para passar a chamada ao superior.


É a treta do país que temos! Muitos estão lá a coçar a micose, á espera que o tempo passe, para gozar as greves e recebem sempre o mesmo salário ao final do mês. Não querem fazer nenhum, não despacham o trabalho porque o trabalho é para "ir-se fazendo", não fazem hoje fica para amanhã. Tantos jovens espertos e inteligentes com excelentes capacidades para poder trabalhar na Função Pública e só lá existe é pessoas que não interessam a ninguém.
Enfim...

Aisling disse...

Oh meu deus, não posso acreditar... Já eu pensava que tinha visto de tudo, andava mesmo enganadinha...

Beijinhos

Mr X disse...

Tem fé T, tem fé.

Rita disse...

Até tive que ler duas vezes porque pensei que não estava ler bem...
Jokas