terça-feira, 18 de dezembro de 2007

NATAL SONHO E PAIS NATAL TREPADORES




Queria só dizer-vos que entre jantares de Natal, preparativos e comprinhas de última hora não me vai sobrar muito tempo para vir aqui escrever, mas se pensavam que passavam o Natal, sem terem que me aturar estavam redondamente enganados, não podia deixar de partilhar um bocadinho da minha festa com a minha família virtual, assim sendo...


O Natal é para nós enquanto família, uma época excepcional esperada com ansiedade por miúdos e graúdos, talvez porque o vivamos de forma algo diferente de muita gente, pois para nós, o Natal é sempre vivido em clima de grande festa, mas uma festa de reencontro de amigos de partilha de experiências de risos e lágrimas uma festa, feita sobretudo de reencontros, de regressos, alguns de nós só estão juntos neste dia, e queremos que ele seja tão perfeito como é único e irrepetível, é sobretudo uma festa de celebração da vida, do sonho, do amor e da amizade que nos une.


Comemos, bebemos, conversamos, em suma, estamos uns com os outros, festejamos! Em toda a festa a decoração é importante e esta não é excepção, enfeito profusamente a minha casa com a ajuda da Olga, claro, nenhum detalhe é deixado ao acaso desde o Presépio à árvore de Natal passando pelas decorações exteriores a que não são estranhos os Pais Natal trepadores, pois, podem ir buscar as pedrinhas e fazer um monte para que se não vos acabem as munições que eu espero.... , então , preparados, é que em minha casa não há um , nem dois, mas três Pais Natal: um enorme que anda de baloiço na frente da casa, como é uma casa de aldeia daquelas antigas, grandes, tem que ter, óbviamente, um outro nas traseiras, este sim um trepador genuíno que é colocado sempre com o risco da própria vida, (de um dos homens da casa, claro) numa das paredes da chaminé da lareira grande e este ano em estreia absoluta e directamente de Paris depois de uma hora e meia de árdua negociação com o proprietário da loja, pois fazia parte das decorações do próprio estabelecimento, um com 1.80, um "PaiNatalTauro", ou lá perto, eu explico, metade Pai Natal, metade chaminé, insuflável, enorme que abana quando passamos por ele e repete um sonoro Ho-Ho-Ho e que me deu um trabalhão para trazer e que vai ser instalado no nosso jardim, onde todas as laranjeiras, limoeiros e aloendros já estão devidamente revestidos de luzes de mil cores, falta unicamente espalhar a "neve", (bolinhas de esferovite, daquelas que usamos para encher puffs) se não chover, claro!


Em nossa casa juntamos cerca de 30 a 40 pessoas, dessas, cerca de 17 são crianças, alguns já têm aí uns 18 anos, mas ainda assim, continuo a achar que ainda podem ser considerados crianças, é para elas que ponho Pais Natal à janela, invento neve, e trabalho, com a Olga em decorações de Natal elaboradas todas as noites durante mais de duas semanas, roubando tempo ao trabalho e ao descanso, em cada grinalda de abeto, em cada centro de mesa em cada ursinho natalício, em cada rena, em cada vela, poiso um beijo, um afago de cabelo, uma estrelinha de sonho, de amor, para que sintam e aprendam que o Natal é a festa dos amigos, da família, da partilha e dos sonhos. No meu Natal o dia mais importante é o dia 24, uma vez que o dia 25 é dedicado à minha "família alargada", começamos a festa ao fim da tarde e seguimos noite fora, culminando com a chegada ruidosa do Pai Natal aí pela meia-noite, vestido a rigor e que é seleccionado previamente, por sorteio, entre os homens presentes.


Há uma regra inquebrável em relação aos presentes cada um pode levar apenas um presente para os crescidos e três para cada criança, todos os outros devem ser entregues em casa, mesmo assim, o processo demora cerca de duas horas, quando não mais, são duas horas de gritaria de rasgar de papel de beijos, de olhares que se cruzam carregados de significado, de abraços de uma ou outra lágrima que invoca os que já não estão connosco e os que mais uma vez escolheram não estar, estando, como o João, são mãos que em silêncio se tocam por não precisarem de palavras... Estou certa que conseguem imaginar a animação, a gritaria, o cheiro a canela, a chocolate e o cheiro forte das decorações em abeto.


Para além do "buffett" que faço absoluta questão que seja aprimorado e do agrado de todos e do qual tenho que deixar todo o mérito à Olga e suas ajudantes, que eu cá só sei pedir,(... um cabrito quente assim e o leitãozinho assado, assado e que os troncos de Natal tenham o chocolate brilhante!...), como eu as oiço dizer, brincando, há sempre quem cante fado vadio, fado de Coimbra quem toque uma canção de Natal , quem dedilhe uma viola, e cante canções de hoje e de ontem, quem conheça anedotas deliciosas e há sempre lugar a brincadeiras da miudagem, lá fora, na rua, num jardim mais ou menos climatizado por um aquecedor daqueles que se usam nas esplanadas.


Para mim, este ano, apenas peço que se esqueçam do que é "Kitch" e do que é "Fashion", deixem sonhar as vossas crianças com renas voadoras e Pais Natal trepadores, com duendes e fadas, heróis de capa e espada, naves espaciais descobridoras de novos mundos e Princesas presas em altas torres, com a Barbie, o Nodi e o Ruca, deixem-nos sonhar e pôr Pais Natal à janela pendurar bolas de mil cores, mesmo que as cores não sejam as que sonhavam para a vossa decoração e ela assim acabe por ficar menos Fashion, deixem-nos sonhar que o sonho é breve e rapidamente a vida se encarregará de os sobrecarregar de "poeiras atómicas" e "chuvas ácidas", dessas que todos nós infelizmente, já tão bem conhecemos, se não "equiparmos" as nossas crianças com as "ferramentas" necessárias à construção do amor, da alegria da amizade, se não lhes for permitido sonhar nunca saberão apreciar as coisas mais belas e pequenas da vida que por acaso até são gratuitas e que por acaso nem estão sujeitas, por enquanto, a modas, tendências ou rótulos. Deixem sonhar as vossas crianças, melhor, ensinem as vossas crianças a sonhar e já agora, aproveitem e deixem-se também levar pela tapete voador, mágico, do sonho, depois, no fim da viagem se não quiserem contar como foi , não faz mal, importa é que a façam! Sonhar nunca fez mal a ninguém e esta é a época e este é o tempo de o fazer! Celebrem o Natal com amor com alegria, ofereçam o que têm de melhor, a vossa amizade, a vossa disponibilidade, o vosso sorriso, o vosso amor.


Sejam felizes, aproveitem a época e tentem levar um bocadinho de "pó de estrelas", sei que nem sempre é fácil, um bocadinho desta felicidade deste "calor" convosco para usarem ao longo de todo o ano.


Beijos grandes e um Santo e
Feliz, Feliz, Feliz, Natal


Tita

10 comentários:

Alf disse...

Feliz Natal para ti também, Tita.

Beijo

Aisling disse...

Tita, tocaste o meu coração... Até fiquei emocionada com o teu post. Isto sim é o verdadeiro espírito natalício!
Um beijinho muito grande para ti

xá-das-5 disse...

Belas festanças T!

Gione disse...

Feliz Natal, Tita.
A mim este post fez-me chorar (tu sabes porquê).

Mim disse...

Tita, desculpa, não consegui ler até ao fim. Li então o último parágrafo e o que desejo, para ti, para os teus (todos) é um Natal com muita comunhão, entrega, alegria e, essencialmente, paz.

Feliz Natal

Estrellinha disse...

Eu também fiquei com os olhos embargados.
Até porque este não está a ser um Natal muito feliz...

Beijos e um Feliz Natal para ti!

sonhador disse...

FELIZ NATAAAAAAAAAAAAAL!

Bjos.

Rita disse...

Que post lindo! Normalmente também tento juntar toda a gente no Natal mas não se compara (ainda, espero) com os os teus 40. Adoro Natais assim, cheios de gente e principalmente de crianças a correrem e a saltarem por todo o lado e a inundarem o ar de gargalhadas e o rever de gente que já não se vê há muito e tudo junto à mesa, aquela algazarra tão boa de 500 pessoas a falarem ao mesmo tempo e o barulho da loiça e dos copos... É mesmo bom e está quase aí (felizmente).
Jokas Muito Muito Grandes e um Natal Muito Muito Feliz

GAIA disse...

gostava tanto de ter um natal assim, de sonho!

obrigada por partilhares!

pensamentosametro disse...

Meus queridos,

Natal é quando nós quisermos, Natal é sempre que uma roda de amigos se senta ao redor de uma mesa e partilha o que tem de melhor, a amizade, a sinceridade, a compaixão, o amor e a compreensão, se o podermos fazer sempre com alegria, melhor!

Beijos

Tita