quinta-feira, 30 de agosto de 2007

SELF MADE WOMAN

Lembram-se da M. a minha sobrinha honorária que tem aquela particularidade? Muito bem, recentemente arranjou um namorado o T., na idade dela é perfeitamente normal mas ficámos um bocadinho preocupados por ela ser portadora de Down, mas aparentemente a «coisa» tem corrido bem, banhocas de piscina, jogos de computador, o normal para miudagem da idade deles em férias, que no nosso circulo familiar «obrigamos» os miúdos a serem miúdos não há cá mini adultos de 14 , 15 , 16 anos.

Ontem, o meu marido e eu fomos jantar a casa da M. e esta mal eu cheguei convocou-me ao seu quarto pois tínhamos que ter uma conversa. Mal entrei «espeta-me» com esta, "sabes Tita acabei tudo com o T. - e então porquê? pergunto eu, já com o coração a tremer. Sabes, vão começar as aulas e vou conhecer pessoas novas e o T. é um bocado «pegajoso», eu quero um namorado, não quero um guarda-costas.
Posto isto sai-me porta fora e grita já nas escadas: "anda Tita, estou «esfaimada».

Mais uma vez estou muito feliz pela minha menina especial que lá vai pela vida da forma mais feliz possível e ao mesmo tempo muito triste pelos tantos e tantas meninos e meninas especiais que não tiveram as mesmas oportunidades da M. e que não podem ser tão felizes por não terem quem os ajude a evoluir a ultrapassar barreiras a perceberem que são diferentes mas iguais que são tão somente especiais.
Tita

10 comentários:

gaia disse...

eu sei que estou numa fase parva, mas o teu post deixou-me com lágrimas nos olhos. eu percebo o que queres dizer. passei um dia (apenas), numa actividade de voluntariado, com alguns adolescentes da cercis. não é fácil para eles, mas também não é para quem os acompanha. é necessário um coração imenso e uma autodisciplina muito grande. levar as coisas de forma natural, para que todos consigam ultrapassar os seus limites. e depois nem todos são iguais. as limitações variam e com elas a actuação de quem está de fora.

admiro muito a vossa atitude e a vossa coragem. a M. merece ter alguém que a acompanhe sempre, e que goste dela sem limitações... e que não a sufoque, acima de tudo!

pensamentosametro disse...

Gaia,

Não estás nada numa fase parva, tu és é uma pessoa sensível como tal, mais receptiva a estas coisas. A mim o que me dói são as crianças que não têm os recursos económicos necessários ao seu desenvolvimento de forma a ajudar a contornar as dificuldades da sua condição, terapeutas da fala, acompanhamento psicopedagógico, professores privados, pediatras altamente especializados por forma a lidarem com este tipo de particularidades, não são fornecidos gratuitamente pelo estado, pelo menos em quantidade suficiente, infelizmente o amor e o bom senso mesmo em quantidades xxxxxxxL não chegam, agora que a nossa M. foi muito esperada e amada antecipadamente por todos é verdade e é verdade que isso tem ajudado muito na sua evolução mas gostava que as oportunidades fossem iguais para todos se é que me entendes, não tarda nada está o Leão a chamar-nos comunas de direita.

Beijos para as duas e boa sesta.

Tita

Estrellinha disse...

Se não fosse um texto teu eu diria que dava uma anedota. Ás vezes os homens são mesmo muito pegajosos...Livra!!!

leao_xxi disse...

Neste particular caso, nunca vou chamaria comunas de direita, pois acho que têm toda a razão...
Como vocês, gostaria que todos tivessem essa igualdade, mas isso cá(Portugal) é impossível...
Vamos tentar com esse carinho e afecto, ultrapassar as dificuldades que a sociedade impõe as essas pessoas especiais!!!!

Paulo Vinhal disse...

Eu trabalho num colégio particular onde as crianças mais velhas têm onze anos. Alguma crianças com particularidades como as da M. adoram-me, não me largam. Outras com outras particularidades muito difíceis de compreender e de lidar são encaminhadas pelos professores e pelas professoras para mim. Tenho uma forte ligação a todas as crianças que lá estudam, sejam ou não diferentes. Às vezes chamam-me profess... desculpa enganei-me, professor não, Paulo.

pensamentosametro disse...

Estrelinha,

Bom dia, estás melhor?

Leão,
Pena é que o carinho só por si não chegue todo o resto é imperativo se queremos dar qualidade de vida a estas pessoas especiais.

Paulo,
È o que chamo factor X, uns têm outros não...

Nani disse...

Muita Personalidade!!!

pensamentosametro disse...

Nani,

Também achamos e estamos todos orgulhosos.

hollygang disse...

A emancipação feminina no seu auge!

pensamentosametro disse...

hollygang,

Podes crer.